Blog

Pintura eletrostática enferruja? Saiba agora!

A dúvida se a pintura eletrostática enferruja vira e mexe surge, pois essa pintura é conhecida por sua eficiência e alta performance, mas pouco se fala de como ela fica na peça com o passar dos anos.

Ideal para cobertura de superfícies metálicas, como no caso do alumínio e aço, ela é a favorita de indústrias que querem aumentar o tempo de coloração de seus produtos feitos desses materiais.

E também é a mais indicada para renovar objetos metálicos, pois todas as peças em metal sofrem desgastes com o tempo e pouco a pouco perdem a cor, então, para dar uma nova vida a um item, a pintura eletrostática entra em cena.

E hoje, neste artigo, nós vamos explicar se a pintura eletrostática enferruja, seja em objetos novos ou objetos que estão sendo restaurados.

Vem com a gente!

 

O que é pintura eletrostática ou pintura a pó?   

A pintura eletrostática é feita por meio da atração entre tinta e objeto, gerando uma cobertura uniforme e que preenche todos os cantos de um item.

Ainda não está claro para você o que é pintura eletrostática?

Então, imagine um ímã. Quando ele é colocado em uma geladeira, ele fica segurado por moléculas positivas e negativas que se atraem, certo?

O metal da geladeira é carregado de moléculas negativas, enquanto o ímã tem moléculas positivas.

E para que o ímã grude na geladeira, acontece a atração entre as duas superfícies.

É seguindo esse conceito que a pintura eletrostática funciona, mas nesse caso as moléculas de tinta são positivas, saindo do bico de pulverização da pistola e sendo direcionada para a carga negativa de uma superfície de metal.

Assim, a atração acontece de forma tão forte que até a tinta pulverizada tenta mudar a direção e ir para o metal.

Deste modo as moléculas de tinta são atraídas pela carga mais alta, enquanto as gotas pulverizadas vão para a área sem tinta, criando uma superfície totalmente uniforme.

E isso já nos dá um spoiler de se a pintura eletrostática enferruja, mas vamos explicar em mais detalhes adiante.

 

Quais são os tipos de pintura eletrostática?

Os tipos de pintura eletrostática são a pó ou líquida, além de serem categorizadas em poliéster, epóxi, híbrida e poliuretano.

A pintura eletrostática líquida foi a primeira a ser inventada, em 1940 e, mais tarde, em 1950, tivemos a criação da pintura eletrostática a pó.

Abaixo, conheça mais sobre cada uma delas.

 

Pintura eletrostática líquida

A pintura eletrostática líquida é um processo em que a tinta é pulverizada através de um pistola para uma superfície de metal, tudo pela ação de um campo elétrico.

O processo de aplicação da tinta líquida é triplo, exigindo primeiro um primer, depois a cor base e, por fim, um verniz é aplicado no objeto.

É comum que neste tipo de pintura as peças sejam secas no ar, levando entre uma hora e vinte e quatro horas.

Com a pintura eletrostática líquida são coloridos carros, móveis de madeira e estruturas de metal.

 

Pintura eletrostática em pó

A pintura eletrostática em pó envolve um pó fino, seco e com um fluxo livre, todo aquecido para depois formar um revestimento de longa duração.

Nesse modelo de pintura, a base é o sistema de resina polimérica, pigmentos e alguns outros aditivos sendo transformados em pó.

Na aplicação da pintura eletrostática em pó, o revestimento é pulverizado e, por meio do processo eletrostático, há aderência na superfície do objeto que está sendo colorido.

Aqui, grânulos de pó e a superfície ficam carregados juntos de uma tensão de diversos volts de energia eletrostática.

 

Poliéster

A tinta poliéster é resistente ao amarelamento da peça e é conhecida por sua ótima aderência.

Ela é indicada para ser aplicada em móveis de jardins, esquadrias de alumínio, componentes automotivos e telhados industriais.

 

Epóxi

A tinta Epóxi é anticorrosiva, logo, tem uma resistência mecânica e química muito alta.

Não é à toa que é indicada para aplicação de vergalhões de construção civil, peças industriais e tubulações marítimas e terrestres.

 

Híbrida

A tinta híbrida une os benefícios da tinta poliéster e epóxi.

Logo, ela é conhecida por ter uma ótima resistência química e ao amarelamento, sendo muito usada em painéis elétricos, revestimentos eletrodomésticos e autopeças.

 

Poliuretano

Por fim, temos a poliuretano, uma tinta similar aos revestimentos de poliéster.

Com esse tipo de tinta são coloridos objetos de uso externo, máquinas, grades e esquadrias.

 

O que levar em conta na hora da escolha

Ao escolher uma tinta para realizar a pintura eletrostática, você deve levar em conta qual delas será a mais durável para o seu objeto.

Isso é feito considerando principalmente as condições que a sua peça a ser revestida enfrenta.

Por exemplo, alguns objetos são usados em serviços pesados, enquanto outros ficam muito expostos a condições meteorológicas, como peças de metal que ficam nos jardins e grades.

Há também objetos que ficam expostos à salinidade, porque ficam perto do mar e isso afeta o metal e leva a dúvida: pintura eletrostática enferruja rápido?

As peças que ficam dentro de casa, por sua vez, são as que menos sofrem com as ações do tempo ao serem coloridas com a pintura eletrostática.

Portanto, avalie as condições da sua peça antes de escolher um tipo de tinta.

E lembre-se: esse tipo de pintura tem uma baixa manutenção, com peças pintadas que duram por quase dez anos, independentemente de ter sido pintada com tinta a pó ou líquida.

 

A pintura eletrostática enferruja?

A pintura eletrostática enferruja sim, dependendo da condição em que o objeto pintado fica exposto.

Porém, a boa notícia é que ela protege ele da ferrugem por muitos anos, além de ter a vantagem de proteger da deterioração também.

Deste modo, materiais de metal que foram pintados com esse tipo de tinta, mas que ficam mais expostos a condições climáticas, como a maresia ou noites de sereno e depois aos dias de sol, infelizmente sofrem com essa ação em algum momento.

Porém, para a ferrugem tocar esses objetos, leva em torno de dez anos, um tempo longo, se compararmos com as pinturas comuns.

Já os materiais que ficam dentro de casa, por exemplo, praticamente nunca sofrem com a ferrugem.

Se interessou pela pintura eletrostática? Então saiba aqui quanto ela custa.

 

Como conservar os móveis com pintura eletrostática?

A pintura eletrostática é resistente aos raios solares, a arranhões e chuvas, porém, ainda há necessidade de tomar cuidados com os objetos pintados com ela.

Um dos cuidados que ajuda a conservar móveis com pintura eletrostática é evitar usar produtos abrasivos ao higienizá-los, como produtos com acetona, álcool ou éter na composição.

 

Por que a pintura eletrostática é ideal para móveis em ambientes externos?

A pintura eletrostática é ideal para móveis em ambientes externos porque é mais resistente às condições climáticas que esses objetos geralmente ficam expostos, como chuva, sol, neblina, ventos, maresia e afins, os protegendo principalmente da ferrugem.

Isso porque nesse modelo de pintura, a tinta gruda no metal, por conta das moléculas de tinta carregadas positivamente e que se repelem, criando uma névoa fina nas superfícies metálicas, revestindo uniformemente o objeto.

 

Ficou interessado na pintura eletrostática? Então, entre em contato conosco e saiba qual o melhor tipo de tinta para o objeto que você quer dar mais cor!

 

Conclusão

Com esse artigo, a nossa missão era te esclarecer se a pintura eletrostática enferruja.

Como você viu, a pintura eletrostática enferruja sim, mas isso depende muito da condição em que o objeto pintado fica exposto.

Na prática ela protege objetos da ferrugem por muitos anos, além de proteger da deterioração também.

Mas os itens que ficam mais expostos a condições climáticas, como a maresia ou noites de sereno e depois aos dias de sol, infelizmente sofrem com essa ação em algum momento.

A boa notícia é que para a ferrugem tocar esses objetos, leva em torno de dez anos.

 

Para não ter erro ao fazer a sua coloração e saber como calcular corretamente a quantidade de tinta para a pintura eletrostática, confira nosso artigo sobre o tema aqui.


Como remover pintura eletrostática? Aprenda aqui!

A durabilidade é um dos principais pontos do revestimento em pó, por isso, a dúvida de como remover pintura eletrostática é muito comum.

E neste sentido, a dificuldade de remoção, que é um ponto positivo desse tipo de pintura, pode se tornar um ponto negativo caso você queira retirar uma camada da tinta.

Por isso, preparamos esse artigo, com sugestões de como remover pintura eletrostática com solvente, no forno, com jateamento de mídia e a laser. Confira!

 


Pintura eletrostática em ferro: onde aplicar e suas vantagens

A pintura eletrostática em ferro é feita com base no princípio de que os opostos se atraem, pois quando é aplicada em um objeto com superfície de ferro, ela dá a ele uma carga negativa, enquanto a tinta tem uma carga positiva.

Com isso, cria-se uma atração no momento de realizar a pintura do objeto, com a carga negativa dele atraindo a tinta, como um imã que a enrola em todos os lados e cantos do item.


Passo a passo de como fazer pintura eletrostática

Para quem quer colorir mesas, armários, grades e até mesmo a lataria do carro, é preciso entender como fazer pintura eletrostática, pois é essa técnica que garante um aspecto colorido, brilhante e uniforme a esses objetos.

E embora o nome soe diferente e até um pouco difícil, essa técnica é muito comum em indústrias, para dar cor a móveis de casa, elementos de construção civil, refrigeradores, ventiladores e afins.

Ficou interessado em entender mais sobre esse procedimento? Então, siga a leitura conosco e entenda como fazer pintura eletrostática!


Aprenda como calcular a quantidade de tinta para pintura eletrostática

Aprender a como calcular a quantidade de tinta para pintura eletrostática é fundamental para saber o quanto você precisará investir para fazer a coloração de um objeto.

Nesse sentido, além de levar em conta os metros quadrados do item que você quer pintar, é preciso também avaliar as suas variações, como a frente e o verso, e as formas de sua estrutura, como é redonda, espiral e afins.

Além disso, é preciso saber se o objeto irá precisar de uma segunda mão de tinta e garantir que ele esteja totalmente limpo, pois as sujeiras podem levar a um acabamento imperfeito e ao retrabalho (e mais gastos).

Para te ajudar com todos esses pontos, preparamos esse artigo completo, com diversas dicas de como calcular a quantidade de tinta para pintura eletrostática.

Acompanhe a leitura conosco e fique por dentro de tudo sobre o tema! 


Pintura Eletrostática a pó: o que é e como funciona

Quando surge a necessidade de passar uma mão de tinta em objetos de metal, como aço inox, aço carbono ou alumínio, a indicação é recorrer à pintura eletrostática. E com isso, logo vem a dúvida: o que é pintura eletrostática?

Comum de ser usada por fabricantes de produtos ou máquinas, para colorir com qualidade os itens que eles vendem, ela é uma técnica de pintura que entrega um acabamento perfeito, mais duradouro e que fixa a tinta por meio de cargas elétricas.

Para saber exatamente como isso acontece, preparamos esse artigo completo em que explicamos a você o que é pintura eletrostática, como ela funciona, qual a sua diferença para a pintura padrão, onde usá-la, suas vantagens e muito mais.

Siga a leitura conosco para ficar por dentro de tudo sobre essa técnica!

 


Descubra quanto custa pintura eletrostática a pó

Saber quanto custa pintura eletrostática é de interesse de qualquer pessoa que quer colorir objetos de metais, como alumínio, bronze, latão e aço galvanizado.

Isso porque a pintura eletrostática é a técnica mais usada e que dá melhor resultado ao colorir objetos desses materiais.

Então, se você está interessado em saber quanto custa pintura eletrostática, como ela irá colorir seu item e quanto tempo essa nova camada de tinta irá durar, basta seguir a leitura conosco!


Aterramento em Pintura Eletrostática

Todos os profissionais de pintura a pó eventualmente terão problemas de revestimento, como dificuldade de penetração nas áreas da gaiola de Faraday; retro-ionização; alastramento irregular do filme; etc. Não é uma questão de “se”, mas sim de “quando” isso vai acontecer.
 
Solucionar a causa raiz dos defeitos pode ser complicado, mas um bom lugar para começar a olhar é o sistema de aterramento. Os problemas listados acima podem ser causados por outros motivos, mas pode ter certeza que um aterramento com problemas vai causar uma série de defeitos de revestimento. Por isso é muito importante sempre estar com o aterramento funcionando corretamente.
 
Leia o artigo até o final e nunca mais deixe a tinta cair pelo chão!
 

Tirar uma peça pintada do forno e encontrar problemas de casca de laranja em um revestimento que deveria ser liso, problemas de opacidade, cantos não cobertos ou problemas do tipo "olhos de peixe", trazem uma frustração pelo desperdício de tempo e tinta, alem de impactar negativamente nos seus custos.

Problemas de aparência são aqueles defeitos imediatamente visíveis encontrados após a cura. Eles vêm em todas as formas e tamanhos e neste conjunto de artigos vamos cobrir os diferentes tipos de defeitos, como eles ocorrem e como evitá-los.

 

Página 1 de 2

© 2022 Indústria Nacional de Tintas. Todos os direitos reservados.